Arquivo do dia: 17/05/2011

Descubra a importância de se dedicar aos simulados

Boa tarde!

Já está no site do e caderno a matéria da Jornalista Rafaela Borges sobre os simulados.

Sempre encontro um bom trabalho nos textos dela. Segue na íntegra:

No decorrer do ano letivo, milhares de vestibulandos em todo o país realizam provas denominadas simulados, organizadas pelos mais diversos cursinhos preparatórios do Brasil.

No entanto, muitos alunos não entendem a importância dessas provas, não se preparam para elas, ou, às vezes, quando a escolha de realizar ou não o simulado é opcional, preferem não fazê-las. E é aí que mora o perigo. Apesar de em alguns casos não serem obrigatórios, esses testes são fundamentais para aquele estudante que deseja conseguir a tão sonhada vaga na universidade.

A psicopedagoga Clara Lúcia Duarte, do Colégio Apogeu, trabalha orientando jovens vestibulandos há 12 anos, e ressalta a importância dessas provas. “Sendo simular o ato de aparentar uma situação, considero o simulado uma das principais ferramentas utilizadas na preparação do candidato para a prova do vestibular. Ele é um dos melhores treinos para aferir conhecimento, equilíbrio emocional e, principalmente, logística da avaliação”, afirma.

 “Um bom desempenho em uma matéria nos simulados não significava que eu deveria diminuir o meu ritmo de estudo, e sim, no mínimo, mantê-lo”, afirma Alexandre.

Sem sombras de dúvidas, a prova-simulado auxilia o aluno em todas as competências exigidas no dia da prova oficial: conhecimento, tranquilidade e confiança. O estudante de medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Alexandre Bravin, conta como essas provas foram fundamentais na sua preparação psicológica para enfrentar o concurso mais concorrido da UFJF: “os simulados foram de importância significativa para que eu pudesse desenvolver um autoconhecimento do meu comportamento nas provas e, assim, ajustar aquilo que me incomodasse ou simplesmente me deixasse nervoso, o que é essencial para o dia da prova”. A psicopedagoga Clara concorda com o estudante. “Além de se preparar com relação às disciplinas, o simulado auxilia no autoconhecimento sobre a calma (ou nervosismo) e o tempo de resolução da prova. As sensações de angústia, medo, pressa ou outras, podem ser observadas e tratadas para que, no dia oficial da prova, esses sentimentos estejam equilibrados e auxiliem no bom andamento da resolução de questões.”

Já com relação ao conteúdo, essas provas devem ser encaradas como um verdadeiro vestibular. Os alunos devem se preparar e realizar a prova com atenção, para que possam ter um resultado real, que reflete as dificuldades nas disciplinas, podendo alertá-los sobre qual matéria devem estudar mais para o dia oficial. “O simulado apresentará ao futuro universitário um norteador de sua pontuação quando comparada a posição no ranking do curso ou escola. Ainda mostrará os conteúdos para os quais está mais preparado e nos quais precisa reforçar os estudos, além de conhecer os estilos de questões mais utilizadas nas provas da universidade escolhida”, afirma Clara. Para Alexandre, essa função dos simulados também foi fundamental para guiá-lo nos estudos: “o fato de mostrar o meu desempenho em determinadas matérias auxiliou no prosseguimento dos estudos, alertando-me para algumas disciplinas. Contudo, um bom desempenho em uma matéria nesta prova não significava que eu deveria diminuir o meu ritmo de estudo, e sim, no mínimo, mantê-lo”.

Portanto, todos os vestibulandos devem encarar com seriedade os simulados, estudar e tirar todas as vantagens que ele possa oferecer. Segundo Clara Duarte, essas provas devem representar o dia oficial, com as mesmas pressões e dificuldades e, se possível, elas devem ser ainda em maior intensidade. “O indivíduo que é treinado e acostumado com um nível grande de exigências comportamentais e cognitivas, tende a perceber a avaliação da universidade (com todos os processos administrativos que a cerca) de forma mais tranquila, não se sentindo pressionado e, assim, equilibrado, tendo mais facilidade em alcançar a aprovação”.

Agora, é só aproveitar as dicas e partir para o mundo dos simulados. Não perca tempo!

Deixe um comentário

Arquivado em Vestibular

MERENDA SAUDÁVEL

Hoje, no programa da rádio, falamos sobre merenda saudável e demos dicas sobre como mudar os hábitos alimentares de nossas crianças. Segue um resumo do bate-papo.

Pensar em alimentação saudável não significa apenas considerar a ingestão de alimentos ricos em vitaminas e nutrientes, mas também Na mudança de hábitos alimentares.

Quando o foco dos ingredientes saudáveis é a merenda, é preciso pensar em envolver toda a comunidade escolar neste processo. É preciso trabalhar com professores, alunos e pais. Crianças e adolescentes passam grande parte do dia na escola. Assim, é fundamental que tenham acesso a alimentos ricos e que sejam oferecidos de forma saudável.

A merenda saudável pode evitar problemas de saúde, como a obesidade infantil, o aumento do nível de colesterol e o diabetes, que podem ser adquiridos devido aos maus hábitos alimentares. O ideal é manter a ingestão de cinco frutas diferentes durante o dia, além de arroz, feijão, carne, verduras e legumes. Na alimentação podem estar presentes pães integrais, iogurte, sucos naturais e queijos magros.

Entre os alimentos que devem ser priorizados na merenda estão leite, iogurte, salada de frutas, bolo, biscoito, mel, entre outros. Há tempos era comum ver canjica fazer parte da merenda escolar. Hoje temos alimentos como arroz, feijão, carnes, legumes, verduras e outros com valor nutricional bem maior.

É importante que a família acompanhe o que os filhos estão utilizando como merenda. Deve, também,  haver abertura da escola para que os pais estejam cientes do que é ingerido pelos seus filhos. As mudanças na merenda escolar estão previstas na chamada “lei da merenda saudável”. Sancionada pelo governo do Estado em setembro do ano passado, a Lei 18.372/09 restringe o fornecimento e a comercialização em escolas públicas e privadas de alimentos gordurosos, com muito açúcar e sal, e com poucos nutrientes. Na cidade, a fiscalização, sem aplicação de multa, fica por conta da Vigilância Sanitária, que verifica a qualidade dos alimentos e as condições de higiene das cantinas escolares.

A alimentação escolar é uma atividade integrante do processo de aprendizagem e que como qualquer outra atividade pedagógica deve ser valorizada, no contexto da escola. Ensinar o que é uma alimentação saudável e adequada é tão importante quanto ensinar todas as outras disciplinas. Estas conclusões do Fórum Brasileiro de Segurança Alimentar e Nutricional nem sempre funcionam em sala de aula.

A escola virou depositário de tudo, campanhas de prevenção de Aids, DST, dengue, e os professores dizem que não tem espaço para tanta demanda. E na formação deles dificilmente é abordada a nutrição.

O outro lado da moeda também pode preocupar. Muitas crianças, especialmente no Sul e Sudeste, acabam tendo uma sobrecarga nutricional ao combinar a merenda escolar com uma alimentação pouco saudável em casa. Por isso, a proposta da alimentação saudável nas escolas deve envolver também as famílias.

A doutora Angela Spinola, presidente do departamento de endocrinologia pediátrica da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, recebe no ambulatório da Escola Paulista de Medicina muitas crianças com problemas de obesidade e hipertensão. Percebemos que temos que insistir para que as crianças almocem uma vez só, ou come a comida de casa ou come a merenda, destaca. A merenda escolar é calórica, rica em carboidratos, importante do ponto de vista energético. Se ela é a única refeição forte que a criança recebe no dia, sem dúvida é muito importante, mas nem sempre isso acontece.

O perfil nutricional mudou muito, as pessoas estão se alimentando mal em casa. Refrigerante, macarrão instantâneo, biscoitos, frango e salsicha entraram para o cardápio diário das famílias, principalmente nas classes C e D. A mulher trabalha fora, não tem tempo para preparar a comida, afirma a nutricionista. O brasileiro não come mais arroz com feijão e cada vez come menos frutas. Para as crianças, isto é um problema. Se não se cuidar do meio da infância ao final da adolescência, vai ter mais propensão a envelhecer doente.

Deixe um comentário

Arquivado em Geral

UMA RECEITA DE MERENDINHA SAUDÁVEL

Nutritivos e deliciosos, os cookies são uma ótima dica para carregar na bolsa e fazer um lanche rápido e saudável. Super fáceis de fazer ficam prontos como um passe de mágica e acompanham muito bem um delicioso copo de leite ou uma boa xícara de chá. Boa pedida para o inverno.

Um cookie é super nutritivo, pois todos os seus ingredientes têm ações importantes no nosso organismo. Começando pela farinha de quinua, que conta com mais de 10 aminoácidos essenciais, fundamentais para crescimento e regeneração de tecidos, prevenindo principalmente o envelhecimento precoce, é também uma ótima fonte de vitaminas antioxidantes e minerais, ainda possui fibras que atuam diretamente sobre o funcionamento intestinal e sobre a absorção de colesterol e glicose. Muito parecidos, o farelo de aveia e a aveia em flocos finos são fonte de fibra solúvel, tem ação direta sobre a saciedade e sobre a absorção de nutrientes, com isso ajudam a acelerar o emagrecimento e previnem doenças cardiovasculares.

O uso do açúcar mascavo é benéfico para a saúde, pois, diferente do açúcar refinado não se usa aditivos químicos em sua fabricação, pois o açúcar mascavo não passa pelo processo de refinamento, o que faz manter as vitaminas e sais minerais da cana de açúcar. A canela usada no cookie, ajuda na redução do colesterol “ruim” LDL, age reduzindo a proliferação de células cancerosas tem ação anticoagulante no sangue, ajuda a aumentar a capacidade de memória e é uma ótima fonte de manganês, fibras, ferro e cálcio.

 Por ser rica em Vitamina E e selênio, as nozes tem ação antioxidante no organismo, fortalecendo o sistema imunológico, e atuam contra o envelhecimento das células. Para completar esse time o azeite de oliva possui propriedades antiinflamatórias e antioxidantes no organismo, ajudando a diminuir pedras na vesícula e reduzindo o risco de câncer de cólon.

RECEITA:

Ingredientes:

 ½ xícara de leite desnatado

½ xícara de farinha de quinua

1 xícara de farinha de trigo integral

1 xícara de farelo de aveia

½ xícara de aveia em flocos finos

5 colheres de sopa de açúcar mascavo

5 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem

1 colher de chá de canela em pó

2 colheres de chá de fermento

4 colheres de sopa de nozes quebradas

 Passo a passo:

 Pré aqueça o forno a 180 graus, em uma tigela misture as farinhas, o farelo, os flocos finos, o açúcar mascavo e o fermento. Aos poucos vá adicionando o azeite, o leite e por ultimo acrescente a canela e as nozes. Misture bem a massa com as mãos e vá apertando por mais ou menos 5 minutos.

Para montar os biscoitos, faça uma bolinha com a massa e achate na palma da mão deixando o biscoito fino e redondo. Se quiser pode fazer outros formatos de biscoito e outros tamanhos também.

Com o tabuleiro untado bem de leve, coloque os biscoitos com uma distancia de dois centímetros entre cada um. Leve ao forno por aproximadamente 20 minutos, até dourar. Dependendo do forno, após 10 minutos vire os biscoitos para dourar dos dois lados. Retire os biscoitos ainda quentes do tabuleiro para não queimar. Rende 30 biscoitos médios, 60 pequenos ou 15 grandes.

Deixe um comentário

Arquivado em Geral