O mapa da mina e a escola certa

Artigo publicado no Jornal Tribuna de Minas em 12 de dezembro de 2010.

Escolher a instituição que o filho irá frequentar provoca nos pais uma grande preocupação. Diante desta tarefa, existe a preocupação com as diferentes tendências adotadas por cada instituição. Para encontrar o melhor caminho, o pai deve fazer uma pergunta para si mesmo: Como eu gostaria que meu filho fosse educado?

Escola não é programa de televisão que podemos mudar de canal quando não está agradando. É preciso optar com tranquilidade e consciência. É necessário visitá-la e perguntar sobre a proposta pedagógica. A tendência atual é preparar o aluno para a vida e não somente para o mercado de trabalho. A instituição deve priorizar o conteúdo, oferecendo-os além do currículo mínimo determinado pelas políticas educacionais do país e não esquecendo das atividades que estimulam a curiosidade, o gosto pelo saber e a cidadania. Por isso, há necessidade de se questionar sobre o que se faz, para quê e por quê, não esquecendo da interrogação: Qual o compromisso da instituição para atingir os objetivos educacionais do século XXI?

Existem colégios com espaços amplos e outros menores e aconchegantes, alguns com enfoque na tecnologia, outros com enfoque no ser humano. Há, ainda, os que preferem o ensino mais forte e aqueles que investem mais no ambiente e no relacionamento. Estudar é um processo de descoberta, não é magia. Não é preciso matricular o filho em escolas menos exigentes porque evitará traumas. A exigência escolar não cria traumas e não causa danos. O aluno sempre questiona sobre o que dizem a ele, mas acredita no exemplo que vê. Não adianta o professor ensinar a regra de como utilizar a vírgula, se não explicar qual a utilidade e qual significado aquilo pode trazer. A informação dada não deve somente aumentar a instrução, ela deve ser “descoberta” pelo aluno, pois só assim adquire significado para ele. Por isso, na escola que possui métodos e regras bem definidos e precisos os alunos se fortalecem, ficam mais seguros, vencem desafios e avançam nos projetos de suas vidas com independência.

A mina está ao alcance de todos. São inúmeras as formas de educar. Devem os pais, na hora da decisão da matrícula, estar acompanhados dos filhos, pois é necessário que os futuros alunos se identifiquem com a instituição para que tenham sucesso em sua formação e, juntos, sem segredos ou milagres, a família desenhe seu próprio mapa do tesouro: a Educação!

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Artigo

Uma resposta para “O mapa da mina e a escola certa

  1. maris

    Penso que deveríamos formar pensadores, ensinar a resolver problemas não só de matemática, mas os problemas existenciais, preparar para as provas da vida, como rejeição, angústia,dificuldades…
    Já está provado cientificamente, que não basta mais ter QI Elevado, tem que levar em conta a Inteligência Emocional. Será que estamos levando em conta isso??? Ou ainda estamos na era louca da competividade desenfreada, onde basta apenas ser o melhor na escola, sem que aprenda o respeito com seus professores, seus diretores, seus coordenadores, seus colegas e funcionários. Temos que buscar CAPACITAR o EU…consciente que a escola e a família tem que fazer parte do processo educativo.

    A escola precisa estar atenta em não dominar apenas a energia intelectual, mas a energia emocional do aluno, assim ele saberá gerenciar suas emoções e pensamentos, tendo alicerce de uma vida encantadora e de sucesso e saberá construir dias felizes, mesmo nos períodos de tristeza.

    Abçs a todos do Apogeu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s